Pesquisa rápida:

    Home  |  Quem Somos  |  Produtos  |  Serviços  |  Orçamentos  |  Ofertas por e-mail  |  Madeiras Brasileiras  |  Galeria de Fotos  |  Localização  |  Contato

 
01- PORTAS
  a) Lisa para Pintura
  b) Lisa Comum p/ Verniz
  c) Lisa Encab. p/ Verniz
  d) Lisa Sólida/Cheia
  e) Frisadas
  f) Decoradas
  g) Maciças
  h) Articulada / Camarão
  i) De correr
  j) Balcão
  k) Sob Encomenda
02 - PORTAS MONTADAS
  a) Lisa para Pintura
  b) Lisa Comum para Verniz
  c) Americana
  d) PA-110
  e) PA-115
  f) Linha Sanfonada
  g) Linha Ferro
  g) Sob Encomenda
  h) Outras
03 - JANELAS E VITRÔS
  a) Modelos de Correr
  b) Max-Ar
  c) Capelinhas Pivotantes
  d) Rosáceas
  e) Linha Ferro
  f) Sob Encomenda
04 - VENEZIANAS
  a) Modelos de Correr
  b) Modelos de Abrir
  c) Porta Balcão
  d) Porta de Correr
  e) Porta Veneziana de Correr
  f) Linha Ferro
  g) Sob Encomenda
05 - BATENTES E PORTAIS
  a) Madeira Mista
  b) Cambará
  c) Cedrinho
  d) Itaúba
  e) Canela
  f) P. Amarela/Garapeira
  g) Peroba Rosa
  h) Tauari
  i) Cambotas
06 - GUARNIÇÕES
  a) Cedrinho
  b) Itaúba
  c) Angelim
  d) Peroba Rosa
  e) Caxeta
  f) Em Arco
07 - MADEIRAS EM GERAL
  a) Pinus
  b) Cambará
  c) Cedrinho
  d) Peroba do Norte/Cupiúba
  e) Peroba Rosa
  f) Itaúba
  g) Jatobá
  h) Ipê Champagne/Cumarú
  i) Angelim
  j) Eucalipto
08 - FORROS E LAMBRIS
  a) Pinus
  b) Cedrinho
  c) PVC
  d) Acessórios
09 - ASSOALHOS E DECKS
  Ipê Champagne/Cumarú
  Jatobá
  Muraicatiara
  Peroba Amarela/Garapeira
  Peroba Mica
  Peroba Rosa
10 - TACOS
  Ipê Champagne/Cumarú
  Jatobá
  P. Amarela/Garapeira
11 - LAMINADOS
  Chapas Duratex
  Chapas Perfuradas
  Compensado Comum
  Compensado Naval
  Formas Concreto Plastificado
  Formas p/ Concreto/Madeirit
  Fórmicas
  MDF
12 - ACABAMENTOS
  Cavilhas
  Meia-Cana
  Outros
  Rodapés
  Tabeiras
13 - DECORAÇÃO
  Balanços
  Bancos
  Banquetas
  Cadeiras
  Cavaletes
  Mesas
  Prateleiras
14 - ESCADAS
  Balaustres
  Corrimão
  Degraus
  Extensível
  Outros
  Para Serviços
  Para Sótão
15 - FERRAGENS
  Acessórios Diversos
  Cadeados
  Dobradiças para Porta
  Dobradiças para Portão
  Fechaduras
  Para Porta Correr / Balcão
  Parafusos e Buchas
  Pregos
  Puxadores
  Suporte p/ Prateleiras
  Trincos
16 - FERRAMENTAS
  Brocas
  Formão
  Jogos de Ferramentas
  Martelo
  Mascaras de Proteção
  Outras
  Trena/ Metro
17 - TELHAS
  Acessórios
  Cerâmicas
  Concreto
  Fibrocimento
  Transparente
18 - QUÍMICOS / LIXAS
  Colas
  Fixador de Batentes
  Fundos de Proteção
  Lixas p/ Ferro
  Lixas p/ Madeira
  Lixas p/ Massa
  Massas p/ Calafetar
  Outros
  Seladoras
  Tingidores
  Vernizes
19 - DIVERSOS
  Cordas
  Passarinheiras
  Telas

 
  Conheça mais sobre as madeiras brasileiras

Garantimos a origem de madeiras in-natura de áreas devidamente credenciadas por autoridades Estaduais e Federais. Todas as empresas credenciadas possuem projetos de áreas de manejo, o que garante o replantio permanente das espécies derrubadas.

ANGELIM

Nome Científico:
Hyemenolobium petraeum Ducke Fabaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Angelin-Pedra, Angelim-Rosa, Angelim-Grande, Angelim-do-Pará, Muirarema.

Nomenclatura Estrangeira:
Angelim Pedra(EUA, Grã Bretanha, Espanha, França), Angelim (Internacional), st.martins gris (Guiana Francesa).

Ocorrência:
No Brasil, sua ocorrência é registrada no Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima, além do Maranhão e Mato Grosso. Encontra-se também da Guiana, Guiana Francesa e Suriname.

Características Gerais:
Madeira dura, de cor castanha avermelhada clara, grã irregular, aspecto fibroso, textura grosseira, com cheiro e gosto indistintos.

Durabilidade Natural:
Apresenta-se resistente ao ataque de fungos e cupins.

Trabalhabilidade:
A madeira de angelim apresenta boas condições de permeabilidade, sendo fácil de tratar.

Indicações de Uso:
Madeira amplamente usada na construção civil (carpintaria e marcenaria), interna e externa, inclusive esquadrias e assoalhos. Uso crescente na manufatura de móveis, inclusive móveis de boa qualidade, tanto em madeira sólida como em forma de lâminas decorativas. É usada também na fabricação de cabos de ferramentas, cutelaria e utensílios variados.

Processamento:
Madeira de aplainamento regular, necessitando ferramentas bem afiadas. O acabamento é bom e a madeira apresenta facilidade de fixação e colagem. A secagem é rápida mas pode apresentar defeitos.

 

 

ANGELIM-PEDRA

Nome Científico:
Hymenolobíum excelsum Ducke, Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
As espécies de Hymenolobíum (12 na América Latina) são extremamente parecidas entre si, destacando-se H. petraeum Ducke, também conhecida por Murarena e Angelim-da-terra.

Descrição da Árvore:
Árvore imensa, alcança às vezes 50m de altura por 300cm de DAP. Casca acinzentada que se solta em placas.

Características da Madeira:
Coloração de fundo amarelo pardacento-pálido, com veios irregulares de coloração pardo-avermeíhado-claro. Superfície lisa, sem brilho. Textura de média a grosseira, grã direita ou intercruzada. Odor indistinto.

Região de Ocorrência:
Disseminado no Pará e na parte oriental do Amazonas, nas matas de terra firme.

Trabalhabilidade:
Boa trabalhabilidade com ferramentas mecânicas, apresentando alguma dificuldade para ser trabalhada manualmente. É necessário uma furação prévia para evitar rachaduras na madeira ou entortamento de pregos e parafusos.

Indicações de Uso:
Construção civil, carpintaria, marcenaria, molduras, dormentes, lambris, forros, etc.

 

 

CEDRINHO

Nome científico
Erisma uncinatum Warm.

Família
Vochysiaceae

Nomes comerciais
BRASIL :bruteiro, cachimbo-de-jabuti, jaboti-da-terra-firme, quaruba-vermelha, quarubatinga, quarubarana.

Origem
Ocorre na região Amazônica, em especial no Estado do Pará. Ainda em Roraima, Amapá, Guianas e Suriname.

Característica gerais
Cerne marrom-avermelhado-claro, distinto do alburno cinza-claro a marrom-acizentado-claro.Anéis de crescimento distinto, grã direta a revessa, textura média, brilho ausente e cheiro imperceptível.

Secagem
Rápida em estufa, com tendência a encanoamento moderado, e com moderada tendência a rachaduras e torcimentos médios.

Trabalhabilidade
Fácil de aplainar, serrar e lixar. Apresenta superfície de acabamento ruim.

Durabilidade
Baixa resistência ao ataque de organismo xilógrafos.

Preservação
Alburno e cerne muito fáceis de preservar, sob pressão, com creosoto e com CCA-A.

Usos
Construção civil e naval, móveis, molduras, carpintaria comum, fabricação de contraplacados, miolo de portas, molduras, rodapés, embalagens, ripas, sarrafos, fôrma para concreto, cabos de vassoura. chapas, caixas, engradados e outros.

 

 

CEDRORANA

Nome Científico:
Cedrelinga catenaeformis Ducke, Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
No Amazonas é chamado de Cedrorana, no Acre de Cedro-agono, e no Pará é conhecido como Cedro-branco e Taperibá-açu. Possui algumas denominações estrangeiras como Tornulo, Paricá e Yacayacá.

Nomenclatura Estrangeira:
Cedrorana (Alemanha, Espanha, França, Holanda, Grã-Bretanha, Itália, Suécia), Tornillo (Peru).

Descrição da Árvore:
Árvore de grande porte, de 30 a 48 m de altura e com fuste de até 2 m de diâmetro. Copa um pouco precária e casca rugosa, assemelhando-se à árvore de Cedro.

Características da Madeira:
Cerne róseo-avermelhado a bege-rosado ou esverdeado; alburno mais claro e lustroso. Grã direita a irregular; lisa ao tato; cheiro e gosto imperceptíveis.

Trabalhabilidade:
A madeira de Cedrorana é de fácil trabalhabilidade, tanto com ferramentas manuais quanto com máquinas. Recebe ótimo acabamento.

Indicações de Uso:
Móveis comuns, partes internas em construção civil (molduras, esquadrias, rodapés, guarnições e similares), cabos de vassouras, brinquedos, embalagens, etc.

 

 

CUPIÚBA

Nome Científico:
Goupia glabra AubI., Goupiaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
No Maranhão é conhecida por Cachaceiro, e no Mato Grosso por Peroba-do-norte.

Descrição da Árvore:
Árvore de grande porte, atingindo normalmente de 25 a 30 metros de altura e de 80 a 120 cm de diâmetro. Sua casca é fibrosa, de superfície escamosa.

Características da Madeira:
Cerne bege-rosado a acastanhado, uniforme, ou as vezes com veios mais escuros, pardo-rosados; alburno não muito diferenciado. Grã direita a irregular, textura média, superfície com pouco brilho. Apresenta cheiro característico e desagradável quando verde, gosto imperceptível.

Região de Ocorrência:
Ocorre em matas de terra firme em toda a região Amazônica, tanto em terrenos arenosos como argilosos.


Trabalhabilidade:

De fácil trabalhabilidade com ferramentas manuais ou com máquinas. Fácil de serrar, aplainar, tornear, colar e parafusar. O uso de pregos sem furação prévia pode provocar rachaduras. Recebe bom acabamento.

Indicações de Uso:
Em construções externas como estruturas, postes, moirões, dormentes, cruzetas; em construçães internas como vigas, caibros, ripas, tacos e tábuas de assoalho, marcos ou batentes de portas e janelas; mobiliário de madeira sólida, torneados, carrocerias, etc.

 

 

CEDRO-ROSA

Nome científico

Cedrela odorata L.

Família
Meliaceae

Nomes comerciais
Cedro, cedro vermelho, redceder, cedar, cedre acajou, ceder, cedro rosa, cedro cobrado, cedro blanco, c.amargo, cedro macho.

Origem
Material lenhoso para os estudos tecnológicos foi obtido no Estado de São Paulo, na Alta Sorocabana, município de Cândido Mota e, ainda, no norte do Estado do Paraná e vale do Itajaí, Estado de Santa Catarina.

Característica gerais
Madeira leve, ceme variando do bege-rosado-escuro ou castanho-claro-rosado, mais ou menos intenso, até o castanho avermelhado, textura grossa;grã direta ou ligeramente ondulada, superficie lustrosa e com reflexo dourados; cheiro característico, agradável, bem pronunciado em algumas amostras, quase ausente em outras ; gosto ligeramente amargo.

Durabilidade
A madeira de CEDRO é considerada de resistência moderada ao ataque de organismos xilófago , segundo observações práticas a respeito de sua utilização.

Preservação
A madeira de CEDRO, em tratamentos sob pressão, em ensaios de laboratórios, demonstrou ser de baixa permiabilidade às soluções preservantes.

Usos
A madeira de CEDRO, por apresentar retrabilidade linear e volumétrica baixas,e propriedades mecânicas entre baixa e média, é particularmente indica para partes internas de móveis finos,folhas faqueadas decorativas, contraplacacados, embalagens decorativas, molduras para quadros, modelos de fundicão, obras de entalhe , artigos de escritórios, instrumentos musicais, em construcão civil, como venezianas, rodapés, guarnicões, cordões, forros , lambris em construcão naval, como acabamentos internos decorativos, casco de embarcacões leves, cabos de vassouras, etc. A madeira de CEDRO classifica-se, entre as madeiras leves, que tem mais diversificacão e é superada somente pela madeira do PINHO-DO-PARÁ.

 

 

CEREJEIRA

Nome científico
Amburana cearensis(Fr.All.) A.C.Smith

Família
Leguminosaea Papilionoideae

Nomes comerciais
BRASIL: Cerejeira-rajada, amburana, cumaru-do-ceará, cumaré, cumaru-das-caatingas, imburana-de-cheiro, umburana, amburana-de-cheiro, imburana e cumaru-de-cheiro.

Origem
Nordeste do país da caatinga (ES) e (MG) na floresta pluvial do vale do Rio Doce e nos afloramento calcários e matas decíduas dos estados de (MG), (GO), (TO), (MS), (MG) e (SP).Já no sudoeste da floresta amazônica(RO, AC e AM) ocorre a espécie Amburana acreana (Ducke) A. C. Smith com características muito semelhantes a essa espécie.

Madeira
Moderadamente pesada( densidade 0.60 g/cm3 ), tronco marrom-avermelhado e o seu corte macio.

Características gerais
Grã direta a irregular e com cheiro de cumarina.

Características morfológicas
Altura de 4-10 m na caatinaga e 10-20 m na mata pluvial e caducifólia, com tronco de 40-80 cm de diâmetro.Folhas compostas, de 10-15 cm de comprimento; folíolos em números de 11-15, com 1-2 cm de comprimento.

Trabalhabilidade
É muito boa de se trabalhar.

Durabilidade
Moderadamente durável quando exposta às intempérias.

Usos
A madeira é empregada para mobiliário fino, folhas faqueados decorativos, tanoaria, escultura, lambris, balcões e marcenaria em geral.

Usos interessantes

As sementes possuem odor agradável e era outrora usada para perfumar a roupa.A árvore é muito ornamental, principalmente pelos ramos e tronco que são lisos de cor vinho ou marrom avermelhado.Pode ser empregada com sucesso no paisagismo em geral.

 

 

CUMARU

Nome Científico:
Dipteryx odorata (Aubl.) Wild., Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Cumaru-de-folha-grande, Cumbaru-roxo, Cumbaru.

Descrição da Árvore:
Árvore grande, freqüentemente com mais de 50 m de altura, por 120 cm de diâmetro. Tronco cilíndrico, com fuste de até 18-24 m de comprimento.

Características da Madeira:
Coloração marrom-claro ou marrom-amarelado. O alburno é distinto, marrom-amarelado. Superfície pouco a medianamente lustrosa, de aparência cerosa, odor parecido com o da baunilha. Gosto distinto.

Região de Ocorrência:
Guianas, Venezuela, Colômbia e região Amazônica. Desenvolve-se bem em solos com boa drenagem.

Trabalhabilidade:
Difícil perfuração; pode-se obter uma superfície lisa se não estiver presente a grã reversa. Devido a natureza oleosa, a madeira apresenta dificuldade em ser colada. Aceita polimento, pintura, verniz, lustre e emassamento.

Indicações de Uso:
Construção civil, lâminas faqueadas decorativas, cabos de ferramentas, implementos agrícolas, dormentes e cruzetas, forros, tábuas de assoalho, etc.

 

 

CURUPIXÁ

Nome científico
Micropholis venulosa ( Mart & Eichl. ) Pièrre

Família
Sapotaceae

Nomes comerciais
BRASIL :abiorana-mangabinha, abiu-guajará, gogó-de-guariba, guajará, grumixá, grumixava, ras

Origem
Pará, Amazonas, Rondônia e Maranhão.

Característica gerais
Cerne marrom a marrom-rosado pouco distinto do alburno marrom-claro.Anéis de crescimento pouco distintos, grã ondulada a direita, textura fina, brilho moderado e cheiro imperceptível.

Secagem
Rápida ao ar, com tendência a arqueamento moderado e a rachaduras leves a moderadas.

Trabalhabilidade
Fácil processamento no torno e na broca, resultando em excelente acabamento.

Durabilidade
Cerne moderadamente resistente à podridão-branca e muito resistente à podridão-parda.Suscetível ao ataque de cupins de madeira seca.

Preservação
Alburno moderadamente fácil de tratar.

Usos
Construção civil, torneados, móveis, artigos domésticos decorativos, utensílios dmésticos, produção de chapas e outros.

 

 

IMBUIA

Nome Científico:
Ocotea porosa (Nees) Barroso, Lauraceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
É conhecida também pelo nomes de Canela-imbuia, Imbuia-amarela, Imbuia-brazina, Imbuia-clara, Imbuia-parda, Imbuia rajada, Imbuia-preta, Umbuia. Ocotea catharinensis (canela-preta) e Cinnamomum vesiculosum, duas espécies próprias da região Sul, apresentam características similares.

Descrição da Árvore:
Árvore que normalmente atinge de 15 a 0 m de altura e de 50 a 150 cm de diâmetro, o tronco é grosso e tortuoso, formando uma copa ampla. Possui casca espessa, cinzento-escura, superficialmente fissurada e com excrescências globosas.

Características da Madeira:

Cerne muito variável, indo do pardo-claro-amarelado ao pardo-escuro-avermelhado, normalmente com a presença de veios mais escuros, paralelos ou ondulados. Grã direita a reversa; superfície irregularmente lustrosa e lisa, odor característico e agradável; sabor amargo e adstrigente.

Região de Ocorrência:
Ocorre em todas a região centro-sul do estado do Paraná, e nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Comportamento Durante a Secagem:
A madeira é de media a difícil secagem ao ar; muito lenta para peças mais espessas e que apresentam maiores riscos da ocorrência de colapso e rachaduras internas. A secagem artificial deve ser lenta e cuidadosa.
 
É facilmente serrada e o seu trabalho com máquinas é igualmente satisfatório. Proporciona bom acabamento, recebendo bem verniz e pintura. O pó fino liberado durante o beneficiamento pode causar dermatite.

Indicações de Uso:
Mobiliário de luxo , folhas faqueadas decorativas, peças torneadas, painéis compensados e divisórias. Em construção civil como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, molduras, lambris e similares; ou em partes externas como esteios, estruturas e etc.

 

 

IPÊ

Nome Científico:
Tabebuia impetiginosa (Mart.) Standl., Bignoniaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
O gênero Tabebula tem cerca de 60 espécies ocorrendo em toda a América Tropical, desde o México até a Argentina. De forma geral, as espécies com madeira densa e escura são denominadas, indistintamente, de lpê, Pau-d'arco e Ipeúna, às vezes acrescentando-se a cor da floração (Ipê-roxo, Ipê-amarelo). Uma denominação comum a vários países sul-americanos é Lapacho.

Descrição da Árvore:
Árvore com normalmente 8 a 10 m de altura quando isolada; na floresta pode atingir até 30 m de altura e 100 cm de diâmetro. Casca espessa e rígida, de cor pardo-escura, sulcada longitudinalmente e fissurada transversalmente.

Características da Madeira:
Cerne pardo-acastanhado ou pardo-claro, geralmente uniforme, sendo comum apresentar reflexos esverdeados. Superfície pouco lustrosa, medianamente lisa ao tato; textura de fina a média, uniforme; grã direita a reversa, cheiro e gosto imperceptíveis.

Trabalhabilidade:
Moderadamente difícil de trabalhar, principalmente com ferramentas manuais, que perdem rapidamente a afiação. Recebe um bom acabamento. São relatados problemas de colagem. O pó liberado durante o beneficiamento pode causar dermatite.

Indicações de Uso:
A madeira de Ipê pode ser utilizada em obras externas tais como postes moirões, estacas, esteios, defensas, dormentes, cruzetas, estruturas; em construção civil na forma de vigas, caibros, ripas, batentes ou marcos de portas e janelas, caixilhos, tacos, tábuas de assoalho e similares; mobiliário comum, peças torneadas, cabos de ferramentas, carrocerias, construção naval, instrumentos musicais, degraus de escada, bolas de boliche e bocha, etc.

 

 

ITAÚBA

Nome Científico:
Mezilaurus itauba (Meissn.) Taub., Lauraceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
É conhecida também pelos nomes de Itaúba-amarela, Itaúba-abacate, Itaúba-preta e Louro-itaúba. M. synandra e M. navalium possuem madeiras com características similares.

Descrição da Árvore:
Árvore de grande porte, chegando a 40 m de altura e 80 cm de diâmetro; em solos arenosos ou pedregosos desenvolve-se menos. Possui casca avermelhada e fissurada.

Características da Madeira:
Cerne amarelo-oliva quando ainda tímido, tornando-se pardo com a exposição ao ar; alburno distinto, de cor bege-claro. A madeira não apresenta desenhos, tendo textura média, pouco brilho e grã regular; lisa ao tato. Quando recém-cortada tem cheiro agradável e gosto picante, porém pouco perceptíveis quando seca..

Região de Ocorrência:
Muito comum na regiio de Óbidos (PA) e no rio Tapajós; dispersando-se até as Guianas e o estado de Mato Grosso. É encontrada sempre em solos pobres, silicosos ou argilo-silicosos.

Trabalhabilidade:
Moderadamente difícil de ser trabalhada, tanto com ferramentas manuais como com máquinas devido á presença de sílica; porém propicia bom acabamento.

Indicações de Uso:
Em construções externas tais como estruturas de pontes, postes, moirões, dormentes, cruzetas, defensas, estacas; partes internas em construção civil como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, caixilhos, tacos e tábuas de assoalho; mobiliário comum, construção naval, barcos, carrocerias, tanoaria, peças torneadas, cabos de ferramentas e implementos agrícolas, etc.

 


 

JATOBÁ

Nome Científico:
Hymenaea sp. Leguminosae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Muitas árvores do gênero Hymenaea são conhecidas comercialmente por Jatobá, Jataí e Jutaí, das quais as mais importantes são H. stilbocarpa e a H. courbaril.

Descrição da Árvore:
Árvore de até 40 m de altura por 200 cm de DAP, sem sapopemas. Tronco cilíndrico, fuste de até 12-13 m de comprimento.

Características da Madeira:
Coloração róseo-pardacento ao pardo-avermelhado-claro, uniforme ou com veios longitudinais. Alburno espesso, branco-amarelado. Superfície pouco lustrosa, textura lisa a grossa, grã normalmente reversa. Gosto e odor indistintos.

Região de Ocorrência:
Ocorre desde o sul do México até a Bahia, nas matas de terra firme de solo argiloso e várzeas altas.

Trabalhabilidade:

Difícil a moderadamente fácil de trabalhar, pode ser desenrolada, aplainada, colada, parafusada e pregada sem muitos problemas. Apresenta resistência para tornear e faquear. O acabamento é agradável. Aceita pintura, verniz, lustre e emassamento.

Indicações de Uso:
Construções externas (obras hidráulicas, postes e vigas), construções pesadas, laminados, móveis, cabos de ferramentas. Implementos agrícolas, carrocerias e vagões, dormentes, cruzetas e construção civil em geral.

 


 

MOGNO

Nome Científico:
Swietenia macrophylla King., Meliacese.

Outros nomes e Espécies Afins:
No Brasil é registrada apenas a ocorrência de Swietenia macrophylla, também conhecida pelos nomes de Acaju, Aguano, Araputanga, Cedro-aguano, Cedro-i, Cedro-Mogno, Mara, Mara-Vermelha, Mogno-Aroeira, Mogno-Branco, Mogno-Brasileiro, Mogno-Cinza, Mogno-Claro, Mogno-Escuro, Mogno-Peludo, Mogno-Rosa, Mogno-Roseo, Movgono-Vermelho e Mogno Brasileiro. Outras espécies do gênero Swietenia ocorrem na América Central, Antilhas Ocidentais e sul da América do Norte.

Nomenclatura Estrangeria:
Acajou Amerique (França); Aguano (Peru); Bigleaf Mahogany( América Central);
Caoba (América Central e Antílhas); Brazilian Mahogany, Mahogany (EUA).

Descrição da Árvore:
São comuns árvores com altura variando de 24 a 30 metros e diâmetros entre 50 e 80 cm podendo atingir 50 m de altura e 200 cm de diâmetro. A base do tronco pode apresentar sapopemas, mas é possível obter toras cilindricas com 20 a 27 m de comprimento.

Características da Madeira:
Cerne de coloração pardo-avermelhada ao castanho claro, escurecendo para um castanho uniforme e intenso. Alburno estreito de coloração branco-amarelado. Superfície brilhante, textura média e uniforme, lisa, grã usualmente direita mas com a possibilidade de irregularidades, sem cheiro ou gosto distintos.

Região de Ocorrência:
Ocorre em área extensa, abrangendo os estados do Acre, Amazonas e Pará, bem como o território de Rondônia, atingindo ainda os estados do Mato Grosso, Tocantins e Goiás. A área total de Swietenia macrophylla estende-se desde o sul do México até a Amazônia brasileira.

Trabalhabilidade:
Madeira fácil de trabalhar, com a obtenção de superfícies lisas na maioria das operações com máquinas.

Indicações de Uso:
A madeira de Mogno é amplamente utilizada na fabricação de móveis, lambris, painéis, folhas decorativas, revestimentos internos, caixilharia, molduras, venezianas, instrumentos musicais e artigos de decoração.

 


 

MUIRACATIARA

Nome Científico:
Astronium lecointei Ducke, Anacardiaceae.

Outros nomes e Espécies Afins:
Na região de ocorrência é chamada de Aroeira, Maracatiara, Sanguessungueira, Aroeirão, Gonçalo-Alves, Maracatiara-Branca, Maracatiara-Vermelha, Muiracatiara-Rajada e Juiraquatiara. Outras espécies de gênero Astronium ( A. fraxinifolium, A. graveolens, A. macrocalyx, A. urundeuva, A. ulei e A. balanae) possuem propriedades bastante similares à madeira de Muirecatiara.

Descrição da Árvore:
Árvore de grande porte, pouco frondosa. Altura comercial de 15 a 20 m e com diâmetro de 60 cm. Alcança na mata uma freqüencia de 0,1 a 1,6 árvores/ha e um volume de 0,2 a 6,8 m3/ha.

Características da Madeira:
Cerne de cor castanho-avermelhado, demarcado com faixas castanho-escuro em sentido vertical, de espaçamento variável, com belas figuras bem distintas. Grã regular, textura média, cheiro e gosto imperceptíveis.

Região de Ocorrência:
Larga distribuição na região Amazônica atingindo o Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima, e passando também pelo Mato Grosso e Maranhão, com maior freqüencia no estado do Pará e do Maranhão.

Trabalhabilidade:
A madeira de Muiracatiara é facil de se trabalhar e propicia excelente acabamento. Recebe bem pintura, verniz, lustro e emassamento.

Indicações de Uso:
Carpintaria e marcenaria em geral; em construção civil como vigas, caibros, ripas, tacos e tábuas de assoalho, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, caixilhos, forros, lambris, etc; ebanesteria, cabos de ferramentas e implementos agrícolas, móveis de luxo, etc.

 


 

PEROBA

Outros Nomes:
Peroba-rosa, perova, perobinha

Ocorrência:
É árvore de grande porte, típica da floresta do Rio Parana exclusiva das florestas primárias, onde é denominante

Madeira:
Amarela a amarelo-rosado, é pesada dura e durável, muito utilizada para móveis na construção civil, em peças que exigem resistência. È largamente empregadas em marcenarias. Produz boa lenha.

 


 

PEROBA-ROSA

Nome científico
Aspidosperma polyneuron Muell.
Arg

Família
Apocynaceae

Nomes comerciais
BBRASIL :peroba, peroba-rosa (PR), peroba-amargosa, peroba-rajada, peroba-açu, sobro (ES), peroba-comum, peroba-do-rio, peroba-paulista, peroba-mirim e peroba-miúda.

Origem
O material lenhoso para os estudos tecnológicos foi obtido na região sudoeste do estado de São Paulo, municípios de Presidente Venceslau, Regente Feijó, Coroados e de Araras, Estado de São Paulo.

Madeira
Moderadamente pesada( densidade 0.79 g/cm3 ), dura, compacta, superfície opaca e áspera, fácil de rachar, muito durável desde que não em contato com solo e umidade.

Características gerais
Madeira pesada; cerne variando do róseo-amarelado ao amarelo-queimado levemente rosado, mais freqüentemente vermelho-rosado, uniformes ou com veios ou manchas escuras; grã direta ou revessa; textura fina; superfície sem lustre e lisa ao tato; cheiro imperceptível; gosto ligeiramente amargo.

Características morfológicas
Altura de 20-30 m, com tronco de 60-90 cm de diâmetro.Folhas glabras, de 5-12 cm de comprimento e 2-4 cm de largura.

Secagem
Dado não disponível.

Trabalhabilidade
Dado não disponível.

Durabilidade
A madeira de PEROBA-ROSA, ensaios de laboratório, demonstrou ter baixa resistência ao ataque de organismo xilófagos.

Preservação
A madeira de PEROBA-ROSA, por ter diminutos e parcialmente obstruídos por óleo-resina e tilos, em tratamentos sob pressão, demonstrou ser de baixa permeabilidade às soluções preservantes.

Usos
A madeira de PEROBA-ROSA, por ser de resistência mecânica e retrabilidade médias, é indicada , principalmente , em construcão civil, como vigas ,caibros, ripas, marcos de portas e janelas, venezianas, portas, portões, rodapés, molduras, tábuas e tacos para assoalhos, degraus de escadas, móveis pesados, carteiras escolares, producão de folhas faqueadas, construcão de vagões, carrocerias, dormentes, fôrmas para calcados. Dormentes dessa madeira, sem tratamento preservante apresentam uma vida útil média de 6 anos.

Usos interessantes
A árvore é ornamental, podendo ser usada no paisagismo em geral.Também não deve faltar nos reflorestamentos mistos destinados à recomposição de áreas degradadas de preservação permanente.

 


 

PINUS-ELIOTI

Nome Científico:
Pinus elliotti Eng. Pinaceae

Outro nomes e Espécies Afins:
Pinus, Pinheiro.Nomenclatura Estrangeira:Southern pine, Southern yellow pine, Slash pine.

Ocorrência:
Epécie introduzida, presenta nas plantações nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do sul.

Características Gerais:
Madeira de cor amarela pálida, textura fina e grã direita, com gosto e cheiro resinosos.

Durabilidade Natural:
Madeira de baixa resistência ao ataque de fungos e insetos.

Trabalhabilidade:

Sua trabalhabilidade é fácil, por meio de soluções preservantes.

Indicações de Uso:
A madeira de pinus elioti é usada na construção civil leve interna e de esquadrias, em mobiliário de utilidade geral, laminados e compensados, embalagens e paletes, artigos de esporte e brinquedos, e também na de bobinas e carretéis.

Processamento:
Madeira de aplainamento, desdobro, torneamento, furação, desenrolamento, lixamento colagem e fixação de pregos e parafusos consideradas fáceis, com bom acabamento. A secagem também apresenta-se fácil.

 

 

   
Folha de Porta Decorada/Filetada PCA 02
Folha de Porta em Tauari Modelo Futura Lateral
Porta Americana Completa 9 Almofadas
Folha de Porta Decorada/Filetada PCA 21
 
 

Institucional:
- Quem somos
- Localização
-
Fale Conosco
    Atendimento:
(11) 5971-1999
(11) 5928-7133
    Formas de pagamento:
- Em 3X no cheque, acima de R$ 400,00 sob consulta.
- Cartões de crédito Visa, MasterCard, Dinners e American Express
- Cartões de débito Redeshop, Maestro e VisaElectron
- Cartão Construcard

 
    Horário de expediente:
- Segunda à Sexta: 8:30-18:00

- Sábados: 8:30-13:00
Esquina da Madeira - Av. Senador Teotônio Vilela, 4747 - Vila São José - São Paulo - SP - CEP 04833-001

   

Desenvolvimento:

Preços, condições de pagamento e frete válidos exclusivamente para compras efetuadas em nossa loja física.
Todos os preços e condições comerciais estão sujeitos a alteração sem aviso prévio. Melhor visualizado na resolução 1024x768.